Musica

Esta semana

5 minutos com Diogo Piçarra

O M de Música já está no ar

Pediu uma bateria, acabou a tocar guitarra. Jogou no Farense mas o irmão gémeo era melhor no futebol. Actuou em bares, às vezes de borla e só para a sua família. Depois de ter cantado, Manuel Moura dos Santos afirmou ter testemunhado o grau máximo de incompetência. Pode não parecer mas tudo isto traçou o caminho de Diogo Piçarra. Em 2012, foi escolhido pelo público da SIC como “o próximo ídolo de Portugal”: três anos depois, Espelho leva-o ao topo das tabelas de vendas, as suas canções tornam-se banda-sonora da vida do país e Do=s, de 2017, chega, rapidamente à marca da Platina. Diogo Piçarra é um dos mais bem sucedidos nomes da música portuguesa actual – aqui, é ele quem conta as suas histórias.
Queens of the Stone Age @ Madison Square Garden
Queens of the Stone Age @ Madison Square Garden
O M de Música esteve no concerto de Nova Iorque
Diz a canção que melhor descreve a Big Apple, “if I can make it there, I can make it anywhere”. No que diz respeito aos Queens of the Stone Age, eles já o conseguiram fazer em todo o lado e conseguiram fazê-lo também, no passado dia 24 de Outubro, num dos mais importantes recintos mundiais, o Madison Square Garden, em Nova Iorque. A casa dos Knicks e dos Rangers encheu para celebrar Villains, o sétimo álbum dos Queens of the Stone Age, editado em Agosto – mas foi com “If I Had A Tail”, de ...Like Clockwork, que o disparo foi lançado. Só que houve muito mais história em forma de canção a ser desfiada ao longo do serão, que arrancou com a abertura dos Royal Blood, a dupla de Brighton que, este fim de semana, regressa a Lisboa, para o início da sua digressão europeia.
Todo o texto sobre o concerto dos Queens of the Stone Age, em Nova Iorque, pode ser encontrado em mdemusica.pt
Foto: DR

Autor: inside
Data: 27/10/17


COMENTÁRIOS