Actualidades

Joana Sá & Luis José Martins

Em dois concertos de despedida de temporada

JOANA SÁ E LUÍS JOSÉ MARTINS EM DOIS CONCERTOS DE DESPEDIDA DE TEMPORADA Carlos Guerreiro, Pedro Carneiro, Eduardo Raon e poeta Nuno Moura juntam-se à festa

No próximo dia 24 de junho, Joana Sá & Luís José Martins vão estar no Teatro Maria Matos em dois concertos, às 18h e às 22h. Paixão e Folia para São João são os últimos concertos da temporada deste Teatro Municipal.

Juntam-se aos músicos Carlos Guerreiro (realejo, sanfona, sopros e percussões), Pedro Carneiro (percussão), Eduardo Raon (harpa e eletrónica), o poeta Nuno Moura (declamação) e um grupo de crianças de 10 anos (contrabaixo, alaúde, sopro e vento do deserto) com quem os músicos têm trabalhado.

A partir de uma encomenda do Maria Matos, estes momentos pretendem ser uma celebração da música neste Teatro, a partir do imaginário das noites de São João.

"A noite de São João é a noite mais curta e condensada de todas as noites, onde a água, o fogo, as ervas e as práticas associadas a estes elementos ganham poderes mágicos capazes de converter ou dissolver as dimensões mais áridas ou secas da realidade. Surgem as mouras encantadas, a semente invisível e potenciadora do feto real, o orvalho que cura e transforma, as fogueiras que dissipam os maus espíritos ou que, saltadas por cima pelas raparigas, auguram futuro fértil e próspero.
Fez o acaso que a encomenda feita pelo Teatro Maria Matos para aquele que será o seu último concerto, coincidisse com este dia especial de São João. O nosso gesto será, inevitavelmente, o de clamar este deserto que se instala, um deserto que se junta a vários outros desertos, não-lugares, mortes anunciadas, certas, ou incertas na lógica de uma mecânica singular, essa alimentada pela máquina de morte. Mas não só. A máquina de morte é infalível, imparável e irreprimível, mas a máquina desta voz traz consigo a alquimia e os poderes condensados desta noite singular: não há morte sem transformação instantânea ou futura, sem tempo. "
Joana Sá & Luís José Martins


Autor: ilda pires
Data: 18/06/18


COMENTÁRIOS