Musica

Festival Porta-Jazz

Traz Chris Cheek, Ohad Talmor e Thomas Morgan

Ao Porto

Sexta, Sábado e Domingo no Rivoli e Sala Porta-Jazz
A 9ª edição do Festival Porta-Jazz continua com concertos e parcerias inéditas. Amanhã, o Grande Auditório do Rivoli recebe, às 21h30, José Soares com Joris Roelofs e Harmen Fraanje, resultado de uma encomenda do festival ao saxofonista português a viver em Amesterdão. Às 22h30, é a vez do saxofonista Chris Cheek se juntar ao grupo MAP liderado pelo pianista Paulo Gomes, com o guitarrista Miguel Moreira, o contrabaixista Miguel Ângelo e o baterista Acácio Salero. O colectivo vem apresentar temas dos três discos editados com o Carimbo Porta-Jazz, assim como novas composições escritas para esta formação e alguma música escrita pelo próprio Chris Cheek.
Sexta-feira, o festival ocupa as duas salas do Rivoli. No Pequeno Auditório, às 18h00, José Pedro Coelho apresenta o segundo disco, "Passarola Voadora", com Xan Campos ao piano, Demian Cabaud no contrabaixo, e Marcos Cavaleiro na bateria. Uma hora depois, o trio Hang in High apresenta o seu terceiro disco num concerto que resulta da parceria com o festival austríaco Bezau Beatz.
Às 21h30, o Grande Auditório abre as portas para receber Thomas Morgan e Marcos Cavaleiro, acompanhados por João Guimarães e André Fernandes. Em palco, um dos mais activos músicos portugueses com um dos contrabaixistas mais importantes da actualidade que, juntos, vão construir um repertório com uma identidade marcada e capaz de trazer ao de cima as possibilidades desta reunião de talentos. Às 22h30, Ohad Talmor junta-se ao super-grupo CORETO. O saxofonista norte-americano escreveu e orquestrou para o colectivo e chegou o momento de estrear ao vivo as composições.
O Festival Porta-Jazz termina no domingo. Às 18h00, a Sala Porta-Jazz recebe Intensivstation, mais um concerto em parceria com o festival austríaco Bezau Beatz. Uma hora depois, o quarteto Alexandre Coelho apresenta "Idiosyncrasies"; e às 22h00, os músicos do Festival Porta-Jazz e do Bezau Beatz juntam-se em palco para um concerto espontâneo e inédito.
Como tem acontecido ao longo da semana, o Clubedo realiza-se após os concertos nas salas de espectáculos. Amanhã, a Casa de Ló recebe, às 23h30, Ricardo Moreira, Nuno Campos e Ricardo Coelho; sábado, o Café do Rivoli, recebe às 23h30 o ESMAE Jazz Ensemble; e domingo, no Hot Five, tocam Paulo Gomes, João Paulo Rosado e Filipe Monteiro, às 23h00.

Recorde-se que o Festival Porta-Jazz teve início no passado dia 1 de Dezembro. Ao longo de nove dias, o Porto assume-se como ponto de encontro de um movimento internacional e o Festival Porta-Jazz como promotor de intercâmbios inéditos entre músicos de Jazz e são muitas as parcerias inéditas. O Teatro Rivoli, a Casa da Música, a FEUP (Faculdade de Engenharia da Univ. do Porto), o Passos Manuel, a ESMAE (Escola Superior de música, Artes e Espectáculo), o Hot Five, a Casa de Ló, a Sala Porta-Jazz e a Igreja de Cedofeita abriram as portas para receber mais de uma centena de músicos e dezenas de estudantes de música, portugueses e estrangeiros.
Os bilhetes para os concertos custam 5€ por sessão (única ou dupla). Como é habitual, os Membros da Porta-Jazz têm entrada livre em todos os espectáculos do festival.


Recorde-se que o Festival Porta-Jazz acontece anualmente desde 2010 e cumpre um papel importante na vida cultural da cidade, tendo-se tornado uma referência incontornável para o jazz em Portugal.

A Associação Porta-Jazz afirma-se, a cada ano, como a maior plataforma de incentivo à criação e divulgação de jazz em Portugal. Resultado do trabalho desenvolvido pela associação e pelo seu braço editorial, o Carimbo Porta-Jazz, este festival é uma oportunidade para ouvir, ver e viver o pulsar de uma comunidade altamente criativa e que muito tem contribuído para a dinâmica cultural de Portugal.

Autor: inside
Data: 08/12/18


COMENTÁRIOS