“Diga 33” Poesia no Teatro às terceiras terças-feiras de cada mês

 

19 de Novembro | 21h30
Sala-Estúdio do Teatro da Rainha
Inês Fonseca Santos
João Paulo Cotrim

Nesta sessão de Diga 33 contaremos com Inês Fonseca Santos e João Paulo Cotrim. Ambos jornalistas, ambos escritores, ligam-se também pela estreita colaboração de autor e editor, tendo o livro “Suite sem vista”, de Inês Fonseca Santos, inaugurado a colecção Mão Dita da editora Abysmo, dirigida por João Paulo Cotrim. Falaremos, pois, das obras de ambos, leremos poemas e tentaremos perceber o que por detrás deles se esconde. Que loucura essa de escrever poesia? Que loucura ainda maior essa de publicá-la? O poeta Manuel António Pina (1943-2012), nascido a 18 de Novembro, será por certo lembrado e celebrado, já que a ele dedicou Inês Fonseca Santos uma tese de mestrado e um belíssimo filme do qual veremos excertos. “Má Raça”, livro de João Paulo Cotrim com ilustrações de Alex Gozblau, servirá de pretexto para abordarmos a relação da poesia com outras artes, nomeadamente as visuais.

Inês Fonseca Santos (Lisboa, 1979) é licenciada em Direito e mestre em Literatura Portuguesa Moderna Contemporânea. Deste trabalho resultou o livro “Regressar a Casa com Manuel António Pina” (Abysmo, Fevereiro de 2015). Jornalista de profissão, publicou em Abril de 2017, na colecção Retratos da Fundação Francisco Manuel dos Santos, o volume “Vale a pena? Conversas com escritores”. Foi também uma das organizadoras, com Nuno Artur Silva, da “Antologia do Humor Português…” (Texto, Outubro de 2008). Estreou-se na poesia com “As Coisas” (Abysmo, Fevereiro de 2012), ao qual se seguiram os livros “A Habitação de Jonas” (Abysmo, Abril de 2013) e “Suite sem vista” (Abysmo, Janeiro de 2018).

João Paulo Cotrim (Lisboa, 1965) é jornalista, escritor e editor. Assinou vários guiões para filmes de animação, novelas gráficas, ensaios e histórias para a infância. Dirigiu a Bedeteca de Lisboa entre 1996 e 2002. Como jornalista, colaborou com vários programas de rádio e televisão, tendo sido também coordenador editorial da revista LER e editor de ficção e ensaio na revista Ícon. Fundou e dirige a editora Abysmo, onde tem publicado vários livros de poesia de autores nacionais e estrangeiros. Entre os seus livros de poesia contam-se “Má Raça” (Abysmo, Março de 2012), com ilustrações de Alex Gozblau e posfácio de Adolfo Luxúria Canibal, e “A Minha Gata” (Companhia das Ilhas, Outubro de 2012).

Entrada livre. Lotação reduzida. Entradas condicionadas aos lugares disponíveis.Em cena mantem- se a última criação da companhia “O pedido de emprego” de Michel Vinaver, de quarta a sábado, às 21h30, até 23 de Novembro.
“O desempregado de meia idade que protagoniza Pedido de emprego já não sairá do seu inferno, a sensação de inutilidade abate-se sobre ele como drama diário e estender-se-á a toda a família como uma metástase de mal-estar, o futuro da filha também está comprometido, a pobreza absoluta espreita.”
Encenação de António Parra, Tradução de Christine Zurbach e Luís Varela, Interpretação de Inês Fouto, José Carlos Faria, Mafalda Taveira e Nuno Machado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *