Entrevista a Ciro Alcarpe

(Criativo, modelo vivo, bailarino , cantor, compositor, performer, modelo fotográfico, poeta, comediante )

INSIDE

Quem é o Ciro Alcarpe ?

Ciro Alcarpe

Olá boa tarde e muito obrigado desde já por me conceder esta entrevista. Por um lado sou uma pessoa que visa tornar-se um artista completo, e nesse sentido, procuro a realização do meu potencial artístico. A um nível mais global, e vou ser poético agora se me permitir, a minha demanda do Santo Graal é viver ao meu melhor nível. Assim cada dia tento evoluir mais e ser um ser humano melhor.

INSIDE

Quando começou o teu interesse pela arte e pelo mundo artístico?

Ciro Alcarpe

O meu primeiro contacto com a arte começou a ouvir as 4 estações de Vivaldi na barriga da minha mãe. E com uma mãe artista e uma prima fadista (Maria Armanda), sempre estive ligado às artes. No entanto, quando era mais novo, era demasiado preguiçoso. A minha mãe bem tentou incutir-me uma disciplina artística com aulas de violino e de piano, mas eu não era nada disciplinado. O interesse e afinidade por este mundo sempre esteve presente: mesmo muito novo, bastava sentar-me a um piano ou ter uma viola na mão que começava logo a improvisar. Claro que a dedicação disciplinada começou bem mais tarde.

INSIDE

O início da tua carreira como bailarino e polivalente no mundo do espetáculo teve alguma influência familiar ou outra?

Ciro Alcarpe

Teve sim. Para já, o facto de a minha mãe ser uma artista, faz com que parte do meu ADN respire arte, então essa foi uma influência fortíssima claro. Por outro lado, em relação á dança, a influência foi da minha prima Odília: ela um dia sugeriu-me inscrever-me em aulas de dança, numa altura em que eu era um leigo nessa matéria, e eu fiquei curioso e segui o conselho dela. Acontece que progressivamente me apaixonei por essa área.

INSIDE

Qual o nome do teu grande projeto artístico e quais são os objetivos do mesmo para o futuro ?

Ciro Alcarpe

Neste momento o nome do meu grande projecto artístico é “A Soul for your Goal”. Já tinha escrito este projecto há 2 ou 3 anos, mas só agora o assumi publicamente. Em resumo, as vertentes deste projecto são:

– Trabalhos artísticos para clientes: dar um toque artístico ao objectivo do cliente.

– Projectos artísticos vários.

– Candidaturas a apoios diversos.

– Eventos artísticos de apoio a causas.

Em relação aos objectivos, alguns deles, que fazem parte da missão do mesmo, são:

– Fomentar os valores humanos.

– Unir as pessoas em torno da arte.

– Criar espaços e momentos em que as pessoas possam viver ao seu melhor nível.

– Valorizar a arte e os artistas.

INSIDE

Neste momento estás a trabalhar neste projeto a 100% ou tens outras atividades de suporte que te ajudam na tua independência financeira?

Ciro Alcarpe

Neste momento estou a trabalhar bastante noutras áreas para poder também sustentar os meus projectos artísticos: para além dos trabalhos relacionados com arte, sou empregado de mesa e copeiro. O mais engraçado é que estes trabalhos de empregado de mesa e copeiro, especialmente o de copeiro, me ajudam a evoluir em geral como ser humano, e mais concretamente, potencializam a minha criatividade e a forma como realizo os meus projectos. Há pessoas que até ficam surpreendidas quando digo isto. Por exemplo, o trabalho na copa melhorou a minha gestão do tempo, eficácia, proactividade, dinamismo, força de vontade, entre outros. Agora eu consigo fazer muito mais coisas em uma hora do que anteriormente, consigo aproveitar muito melhor o tempo.

INSIDE

Sabendo que és um homem multifacetado e que tens conhecimentos na coreografia, musicais, vocais , teatrais, fotográficos e outros, em qual área te identificas mais e o que mais gostas de fazer em primeiro lugar?

Ciro Alcarpe

Já fui obcecado pela dança. Nessa altura só via a dança e mais nada. E como em qualquer outra obsessão, perde-se a visão global e panorâmica. Na altura não conseguia ver que seria muito mais feliz a fazer arte em geral e não apenas na dança. Neste momento posso dizer que amo qualquer das áreas artísticas em que estou envolvido. E acho também que é a nossa atitude que torna qualquer coisa que fazemos arte. Por isso adoro também ser copeiro e sinto-me um artista quando estou a desempenhar esse trabalho.

INSIDE

Quais são os teus objetivos e projetos para o futuro?

Ciro Alcarpe

Tal como referi anteriormente, os meus objectivos para o futuro são: tornar-me um artista completo, realizando o meu potencial artístico, e a um nível global, viver ao meu melhor nível, tornando-me diariamente um ser humano melhor, vivendo a partir da minha alma.

Quanto a projectos, de momento pretendo assentar os que tenho. Após estes estarem bem assentes, poderei pensar no seguimento.

INSIDE

Gostarias de ter uma carreira internacional e poderes dar asas aos teus grandes sonhos e projetos? Se sim qual seria o país escolhido.

Ciro Alcarpe

Gostaria claro. Estou aberto a criar em qualquer país pois considero-me um homem do mundo. Há no entanto lugares que me cativam ainda mais como por exemplo o Japão, pois tenho uma grande admiração pela cultura oriental, especialmente a japonesa. Também sou um amante da cultura africana. Costumo dizer que a minha alma é africana também. Então gostaria muito de criar em África, especialmente em Angola, país pelo qual tenho um carinho muito especial.

INSIDE

Neste momento quais são os teus projetos ativos?

Ciro Alcarpe

Neste momento os meus projectos (sendo que todos fazem parte de “A Soul for your Goal”) activos são:

– “A Soul for your Goal” (já explicado anteriormente)

– “Life Drawing by Ciro Alcarpe” (Sessões de desenho de modelo inovadoras)

– “Battle por uma Causa” (Batalhas de dança de beneficência a favor de causas)

– “A MuDança traz Esperança” (Melhoria dos mais variados contextos sócio-económicos através da dança)

INSIDE

Na tua área profissional como vês em Portugal o mercado de trabalho e o que pensas da nova geração de artistas em geral?

Ciro Alcarpe

Vejo que a nível de mercado de trabalho a vida não está fácil para os artistas, mas essa realidade não é só de agora. Não há suficiente apoio aos artistas e valorização dos mesmos. Por outras palavras, deveriam haver mais oportunidades de trabalho para os artistas e a remuneração aos artistas deveria ser mais atractiva e justa. Afinal de contas, a arte é essencial para o bom funcionamento de qualquer país.

Em relação à nova geração de artistas, o aspecto positivo é que a qualidade artística tem sempre vindo a melhorar e isso está bem patente na nova geração.

Infelizmente esta nova geração transporta um problema que não é novo também: a falta de apoio dos artistas entre si. E para a arte voltar a respirar, é necessário não só o apoio externo aos artistas, mas também a união dos artistas entre si. Porque o apoio interno e externo estão relacionados e são a solução para o problema da arte não só em Portugal mas em geral também.

Ainda de referir que esta nova geração tem também outra característica: é o “olhem o que eu sei fazer, olhem como eu sou bom/boa, olhem para mim” nas redes sociais. O auto-endeusamento e alimentação do ego estão muito presentes na nova geração de artistas. Penso que a verdadeira natureza do artista é também a de dar: dar momentos inesquecíveis ao público, apoiar causas, contribuir para um mundo melhor através da arte. Então penso que a nova geração, para quem esteja aberto a tal, só tem de direccionar esse talento crescente para essa componente mais altruísta da arte.

INSIDE

Como encaras a evolução da arte em Portugal? E na tua opinião achas que temos tido melhorias significativas nestes últimos anos?

Ciro Alcarpe

Penso que a arte tem melhorado em termos da qualidade dos artistas. Os artistas em geral estão mais perfeccionistas e dedicados. É possível que alguns artistas se sintam influenciados e inspirados por exemplos como o de Cristiano Ronaldo.

Já em relação a apoios, embora haja uma ligeira melhoria, ainda que intermitente, o problema de falta de apoio externo aos artistas continua. E o próprio governo deveria dar o exemplo nesse sentido e criar mais apoios à arte em Portugal.

Por estes motivos não diria que a melhoria nos últimos anos, isto em termos de apoios, tenha sido assim tão gritante a ponto de ser significativa.

Já em termos de ferramentas disponíveis para os artistas, há uma evolução clara, mas essa em todo o mundo e decorrente também da própria evolução tecnológica. Hoje em dia, redes sociais como Facebook e Instagram são ferramentas com um potencial enorme para a promoção dos artistas.

INSIDE

Que conselhos deixarias a todos os que querem seguir o caminho da arte e do meio artístico em geral?

Ciro Alcarpe

Parem de arranjar desculpas, parem de falar, e se realmente querem seguir o caminho artístico, façam acontecer. Tudo é possível quando temos um foco claro. Convido sempre as pessoas a verem o que fez e faz o Cristiano Ronaldo para chegar ao patamar onde está hoje.

INSIDE

É com grande simpatia e enorme agradecimento que realizamos esta entrevista para que os nossos leitores possam conhecer melhor este talentoso criador, artista e empreendedor do mundo da cultura e da arte em Portugal.

Muito obrigado pela disponibilidade e até breve

Luis Filipe Meneses

Galeria de Fotos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

TWITTER
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
YouTube
Instagram
RSS
EMAIL