JOANA ESPADINHA


MEO MARÉS VIVAS E EDP COOL JAZZ NA AGENDA DESTE FINAL DE SEMANA

“O MATERIAL TEM SEMPRE RAZÃO” SERÁ AINDA APRESENTADO NO FESTIVAL (IN)COMUM E NOS BONS SONS

Em 2018 figurou nas listas dos melhores discos do ano mas é em 2019 que Joana Espadinha e o seu “O Material Tem Sempre Razão” está a percorrer o país – depois de na semana passada se ter deslocado ao Funchal, Joana Espadinha terá os festivais Meo Marés Vivas e EDP Cool Jazz como destino para o final da presente semana.

Assim, no dia 19, o Palco Santa Casa do festival nortenho terá a oportunidade de vibrar com as canções de Joana Espadinha – “Leva-me a Dançar” (link), “Pensa Bem” (link) ou “O Material Tem Sempre Razão” (link), os três singles retirados até à data do álbum, terão presença obrigatória no alinhamento. Já no dia seguinte e rumando a sul, o EDP Cool Jazz irá receber Joana e banda respectiva, no Hipódromo Manuel Possolo, numa noite que se espera de partilha com o público que também assistirá à apresentação de Jamie Cullum.

Nas semanas seguintes, passagens pelo Festival (IN)Comum, em Coimbra, para um concerto no Salão Brazil no dia 26 de Julho; e, já no mês seguinte, a 8 de Agosto, o regresso ao Festival dos Bons Sons, para um concerto exclusivo feito em parceria com Benjamim que, lembremos, assinou a produção do disco.

A presença nestes importantes festivais permitirá ao público presente a descoberta de uma das mais talentosas cantautoras da sua geração – a não perder Joana Espadinha.

«Nunca pensei na canção “O material tem sempre razão” como um single. Os singles não têm, por norma, 6 minutos, pelo menos nos dias de hoje. Mas a verdade é que é uma canção muito especial para mim, e talvez a canção que melhor me representa neste disco. Por isso foi também escolhida para o título do álbum.

É uma canção que fala da aventura que é fazer música e ser artista, do palco, da imagem projectada, do medo, e por fim, da verdade. Sendo o retrato de uma viagem atribulada, foi também a última canção a ser terminada, pois tinha muitos altos e baixos. Assim, cada parte do arranjo teve de ser distinta, porque é uma historia contada em vários actos, e cada um me trouxe até aqui.»

Joana Espadinha

 

AGENDA

19 JULHO: MEO MARÉS VIVAS / PALCO SANTA CASA / VILA NOVA DE GAIA
20 JULHO: EDP COOL JAZZ / HIPÓDROMO MANUEL POSSOLO / CASCAIS
26 JULHO: FESTIVAL (INCOMUM) / SALÃO BRAZIL / COIMBRA
8 AGOSTO: FESTIVAL DOS BONS SONS / CEM SOLDOS_ com Benjamim