Teatro Meridional apresenta “O Sr. Ibrahim e as Flores do Corão”

e o recital “Elas” em São Tomé e Príncipe.

O Teatro Meridional e a Cena Lusófona são as estruturas portuguesas convidadas no I Festival Internacional de Teatro de São Tomé, que começa amanhã, dia 21 de Julho, na capital são-tomense. A iniciativa é do Ministério do Turismo e Cultura de São Tomé e Príncipe, no âmbito do projecto RECITE, acção apoiada pelo programa PROCULTURA.

O Teatro Meridional, companhia portuguesa que assinala em 2022 os trinta anos de actividade, leva a São Tomé e Príncipe os espectáculos “O Sr. Ibrahim e as Flores do Corão”, de Eric-Emmanuel Schmitt, com encenação de Miguel Seabra e interpretação de Miguel Seabra (texto) e Rui Rebelo (música), e “Elas”, recital de poesia de língua portuguesa com Natália Luiza. Os espectáculos são apresentados nos dias 29 e 30 de Julho, no Auditório do Arquivo Histórico e no Centro Cultural Brasil – São Tomé e Príncipe, respectivamente, sempre às 19h00.
“O Sr. Ibrahim e as Flores do Corão”, estreado em 2012 e a caminho das 200 apresentações em vários locais do mundo, é um dos grandes sucessos na história da companhia portuguesa. Seguindo uma das linhas de trabalho do Teatro Meridional, que se prende com a encenação e adaptação de textos maiores da dramaturgia mundial, prossegue um formato de espectáculo contado na voz de um único actor e acompanhado por um músico. O texto de Eric-Emmanuel Schmitt relata-nos o encontro entre Momo, um rapazinho judeu de onze anos, e o velho merceeiro árabe da Rua Bleue, de quem se torna amigo. “Mas as aparências iludem: o Senhor Ibrahim, o merceeiro, não é árabe, a rua Bleue não é azul e o rapazinho talvez não seja judeu” – adverte-nos o Teatro Meridional na nota de apresentação. O espectáculo é “construído na essencialidade do teatro, no despojamento do artifício e onde as personagens que constituem a narrativa nos surgem claras pela sugestão desenhada no pequeno gesto. Depois, somos guiados pelas palavras através de uma vida e onde, como espectadores, somos naturalmente convocados a criar as paisagens e a fazer também a nossa própria viagem”, adianta a companhia portuguesa.
Em “Elas”, a actriz e encenadora Natália Luiza declama grandes poetas da língua portuguesa, “convocando vozes diversas de mulheres de quatro continentes que escreveram ou escrevem na língua portuguesa – Angola, Cabo Verde, S. Tomé, Moçambique, Guiné, Brasil, Timor e Portugal”: Margarida Fontes, Lygia Fagundes Telles, Sophia de Mello Breyner Andresen, Maria Teresa Horta, Glória de Santana, Ana Paula Tavares, Dina Salústio, Alda Lara, Carolina de Jesus, Conceição Lima, Cora Coralina, Cecília Meireles, Deolinda da Conceição, Noémia de Sousa, Adélia Prado, Lya Luft, Alda Lara, Alda do Espírito Santo. O recital proporciona “um percurso por sentimentos, vivências e histórias e por alguns temas que atravessam a vida de todos os seres humanos e alguns especificamente das mulheres”.

O Festival Internacional de Teatro de São Tomé
A primeira edição do Festival de Teatro de São Tomé é organizada pelo Ministério do Turismo e Cultura de São Tomé e pelo Centro de Intercâmbio Teatral de São Tomé, no âmbito do projecto RECITE – Rede de Centros de Intercâmbio Teatral nos países de língua portuguesa. Decorre na capital são-tomense entre 21 e 31 de Julho e a sua programação inclui, para além dos espectáculos do Teatro Meridional, a estreia do exercício-espectáculo “Tchiloli, uma tragédia actual”, a participação de cinco grupos nacionais – Legi Tela, Os Parodiantes da Ilha, Caravana Africana, Surpresa da Madrugada e Tragédia Florentina de Caixão Grande – e ainda a representação de Moçambique, com “Pois é, vizinha”, um espectáculo com encenação de Maria Atália.
O projecto RECITE, que o Ministério do Turismo e Cultura organiza em parceria com a AEGUI – Associação de Escritores da Guiné Bissau, decorre entre Janeiro de 2022 e Junho de 2024. É executado no âmbito da PROCULTURA, acção do programa PALOP-TL e UE, financiada pela União Europeia, co-financiada e gerida pelo Camões, I.P.
A participação do Teatro Meridional neste Festival é produzida pela Cena Lusófona e conta com o apoio da Direcção-Geral das Artes do Ministério da Cultura de Portugal, no âmbito do Programa de Apoio a Projectos no domínio da internacionalização – 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

TWITTER
Visit Us
Follow Me
LinkedIn
Share
YouTube
Instagram
RSS
EMAIL