Literatura

Fatima Feitosa

"Presa dentro de mim"

"SER Bipolar é saber SER." O livro tem o prefácio do psicológico acupunturista Paulo Nobre.

Ao ler a obra "Presa dentro de Mim" os sentimentos que fui tendo, em alguns momentos, foram muito vividos.
É uma viagem dentro do nosso Ser e da Busca por uma Igualdade que nunca deveria de existir. Em nada somos "diferentes" e sim somos em muitas alturas Superiores a quem não sabe estar na Vida, mas sim apenas anda neste mundo a vegetar!
Aconselho a todos os que querem deixar de ser Medíocres!!


I.F. Com que idade foste diagnosticada com transtorno bipolar e qual foi tua reação ao saber que tinhas uma doença crônica?
F.F. Fui diagnosticada com TB aos 46 anos depois de ter passado por 4 grandes crises depressivas e ter visitado muitos consultórios psiquiátricos.
Fiquei feliz quando fui diagnosticada porque eu sabia não ser uma depressiva. Então passei a estudar sobre o transtorno, sempre seguindo as orientações médicas para viver melhor.


I.F. Que tratamentos e medicações usas? Tem efeitos colaterais?
F.F. Faço terapia, acupuntura e atividades físicas regulares.
Tomo Carbolitium, quetiapina e ansiolitico. No início do tratamento tive poucos efeitos colaterais e hoje nenhum. Minha vida está completamente equilibrada.


I.F. Para tio que é ser um bipolar? Esta doença alterou tua rotina de vida? Como?
F.F. Ser bipolar é ter uma doença crônica, porém pode der controlada. Basta ser responsável consigo mesmo.
As alterações foram quando tive crises depressivas porque ficava incapaz de me sentir gente. Minhas forças eram roubadas. Precisava parar de trabalhar e não conseguia cuidar dos meus filhos. Isso me fazia sentir muita culpa. Então comecei a escrever tentando me entender. E quanto mais escrevia melhor eu ficava. Por isso digo que as letras me salvaram. Já publiquei dois livros. Um de poesia e outro autobiográfico.


I.F. Já sofreste algum tipo de preconceito por ser bipolar?
F.F. Não que eu tenha percebido. Por ser bipolar nunca fui de meias palavras. E muitas pessoas se chocam com meu comportamento. Mas eu sempre fui mais eu e não ligo pra quem não busca entender as limitações do outro. Sou muito segura de mim.


I.F. O bipolar tem comportamentos diferentes das pessoas “normais”. Como te vês e observas diante dos "outros"?
F.F. O bipolar é perfeccionista, gosta de lidar com pessoas inteligentes, não suporta comportamento que não o ajude a crescer como humano e profissional.
Sou assim bem organizada, estudiosa, penso em ajudar a humanidade com minha pequena contribuição. Gosto de ter momentos de ficar comigo mesma, mas sou muito sociável.


I.F. O que dirias para uma pessoa que acabou de ser diagnosticado bipolar?
F.F. Eu diria a uma pessoa que foi diagnosticada bipolar que está vai enfrentar uma luta árdua diária com ela mesma. Primeiro ela tem que se aceitar, aceite a ajuda dos profissionais. Seja disciplinada. Peça apoio à família que é extremamente importante. E busque fazer o que gosta e serás feliz como qualquer pessoa.


I.F. Como te sentiste ao escrever “Presa dentro de Mim”?
F.F. Me senti liberta. Era um amontoado de sentimentos presos dentro de mim, só eu sentia. Escrevendo, dividi com o mundo. Me libertei! Diria que hoje sou melhor depois do livro, especialmente porque pessoas estão se encontrando nele, perdendo o medo de falar sobre bipolaridade que ainda é visto com muito preconceito. Porque a sociedade trata a mente como se não fosse parte do corpo humano.


I.F. Como tua “companheira” nesta luta em abrir a “Caixa de Pandora” sobre a doença Bipolar, e agradecendo a honra que me deste em participar na obra “Presa dentro de Mim”, que impacto está a ter?
F.F. Eu vejo o ser humano por igual, independente de cor, religião, condição financeira, doença... Todos são gente e precisam ser tratados com respeito. Portanto abrir a caixa de Pandora pra mim é algo natural e necessário porque eu não me sinto inferior nem superior a ninguém. Apenas sou diferente. O que realmente importa é diminuir o preconceito com seres humanos tão capazes de viver bem e produtivo. Em muitos casos até mais produtivo de que muitos ditos "normais".


I.F. Estás satisfeita com o resultado da tua obra?
F.F. Estou muito satisfeita porque no livro eu não só enfoco o preconceito com o bipolar, mas todos os tipos de preconceitos que eu enfrentei na vida e venci todos. Na real todo preconceito é fruto da ignorância. Todo ser humano é capaz, mesmo com limitações. Então é importante procurar estudar mais para conhecer evitando fazer juízo de valore errado.

I.F. O que podem os teus leitores esperar de ti no futuro?
F.F. Os meus leitores podem esperar de mim falar abertamente, com conhecimento, sobre qualquer assunto em prosa ou verso, como foi no meu primeiro livro À FLOR DA PELE que trata de poesias eróticas sem ser vulgar. Eu sinto que não vim a este mundo à toa. Tenho uma missão que é ajudar dentro das minhas limitações.



Querida Fátima Feitosa amei a obra "Presa dentro de Mim", e revi-me muito nela, muitas partes da Tua vida parecem a Minha!!
Muito Obrigada.

Autor: Isabel Fontes
Data: 10/12/15


COMENTÁRIOS

Visite-nos no FacebookVisite-nos no Twitter

Entrevista

Helder Costa

HELDER COSTA – A BARRACA


ler mais

Votação

Mediar entendimento
45%
Agir pela força
27%
aplicar mais sanções
9%
outra
19%