35 ANOS DE RAINHA 35 situações / contextos / paixões/ instantâneos e retratos

Cumprir os 35 anos de um projecto teatral é mais que fazer anos.

 

É a vida própria de um colectivo em constante invenção do próprio trajecto contra todos os obstáculos, destino tomado nas mãos em condições sempre afastadas do que deveria ser propiciado por uma democracia cultural.
Não é uma resistência cultural envolvida numa retórica generalista de circunstância sempre disposta a responsabilizar terceiros pelo que não aconteceu. Não é o caso. Fizemos coisas, ajudámos a mudar realidades,
estivemos sempre do lado da emancipação do gosto e da democracia qualificada, contra a confusão entre arte e amadorismos, entre rigor estético e didactismos estéreis, contra as formas do populismo comercial ou básico, que
apenas confirmam rigidismos e moleza conservadora, ausência de pulsão criativa fundamentada e liberta de preconceitos. Somos resistentes, é um facto:
o núcleo base faz mais de 30 anos.
São 86 criações, trabalho teatral desenvolvido no Porto, Coimbra, Évora, Lisboa e Caldas, Nazaré, Torres Vedras e em tantos concelhos e freguesias, de norte a sul e às ilhas. Nos Estados Unidos, em Espanha, na Roménia, no
Brasil, de algum modo em França e Itália, em que aprendemos teatro, a lê-lo e fazê-lo, a amá-lo.

O Teatro da Rainha tem vindo a encenar e a apresentar títulos muito diversos, cronológica e estilisticamente, teatro de múltiplas dimensões que comunga desse objetivo último que é o da verdade no palco. Recorde-se que nessa
perspectiva o nosso Teatro tem vindo a publicar, em edições de grande cuidado gráfico, algumas das peças que mais marcaram o seu percurso e melhor dão testemunho da sua visão do espectáculo encenado. São traduções atentas de peças contemporâneas e clássicas que têm em comum o serem títulos incontornáveis de um certo desassossego e da
contemplação, tão irónica quanto empenhada, da inquietude e drama humanos.
Foram até agora publicados quatro livros, com peças de Luigi Pirandello, Samuel Beckett, Martin Crimp e Jean-Pierre Sarrazac. Cada livro inclui duas ou três peças, todas elas já produzidas e levadas a cena pelo Teatro da
Rainha. Adiantamos ainda que se encontra em preparação a publicação de; Weisman e Cara Vermelha; de George Tabori.

Os livros estão disponíveis em venda online, ou nas instalações do próprio teatro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *