JUST GIRLS PLAY ME

As meninas do mais puro pitaPop Português estão de volta. O novo disco é recheado por doze canções e dois convidados. Os fãs não vão ficar desiludidos.

“O que és para mim” é uma linda balada acústica, leve, com um tom ligeiro toque de sedução do piano eléctrico. Remete-nos para um universo de uma desilusão amorosa e para um jogo de gato e rato entre uma amante a tentar reconquistar o seu amado.

“Ser radical” é uma espécie de remake do “Bye bye vou-me divertir” do álbum anterior. Um hino ao GirlPower em que elas mostram que são quem comanda. A festa da vida, a superioridade e a independência dos homens. As raparigas que são felizes, custe o que custar, debaixo de um tom dançável e alegre.

“Viver a vida” alinha pelo mesmo diapasão. Com a colaboração dos 4taste, um tema bem ritmado alinhado com palminhas e guitarras punk num sabor ao pop dos blink182.
Um hino à alegria e ao carpe diem: viver os sonhos e encontrar a saída. Saber quem somos!

“Devo perguntar” é um

As meninas do mais puro pitaPop Português estão de volta. O novo disco é recheado por doze canções e dois convidados. Os fãs não vão ficar desiludidos.

“O que és para mim” é uma linda balada acústica, leve, com um tom ligeiro toque de sedução do piano eléctrico. Remete-nos para um universo de uma desilusão amorosa e para um jogo de gato e rato entre uma amante a tentar reconquistar o seu amado.

“Ser radical” é uma espécie de remake do “Bye bye vou-me divertir” do álbum anterior. Um hino ao GirlPower em que elas mostram que são quem comanda. A festa da vida, a superioridade e a independência dos homens. As raparigas que são felizes, custe o que custar, debaixo de um tom dançável e alegre.

“Viver a vida” alinha pelo mesmo diapasão. Com a colaboração dos 4taste, um tema bem ritmado alinhado com palminhas e guitarras punk num sabor ao pop dos blink182.
Um hino à alegria e ao carpe diem: viver os sonhos e encontrar a saída. Saber quem somos!

“Devo perguntar” é um pop carregado de guitarra acústica sob a égide de uma dúvida excruciante entre esperar ou desistir de um amor alapado no peito.

“Entre o sonho e ilusão” é uma balada ligeira e romântica. Com uma aura que apela aos nossos sentimentos mais melosos e recônditos. Quase ideal para embalar.

“Cansei” é uma pedrada no charco. Com a colaboração de Angélico, traz-nos uma ambiência agressiva, dramática e quase num tom de pop-rap-electrónico, um pouco na onda da mais recente Britney. Uma sonoridade de fusão muito século XXI.

“Deixa o som voar” atira o álbum para o reino do pop-dance-electrónico. Um pulsar rápido e frenético conduz a uma faixa muita propícia às pistas de dança. Um cheirinho a Cher emana no ar.

“Respostas Vagas” é uma música com cunho bastante original. Uma espécie de ritmo ondulante dos anos 30 jazzado e sedutor é transportado para uma orquestração actual e torna-se numa música de piano-bar psicadélico. A temática continua em torno das relações amorosas vistas do prisma da rapariga dominadora.

“Se acabar assim” torna-nos a transportar para o reino das baladas ligeiras e melosas. O pano de fundo mantém-se numa história de amor mal sucedida.

“Só quero voar” é um hino de esperança. Que se acreditarmos no que nos diz o coração podemos chegar aonde quisermos. Pouco realista, mas muito dentro do imaginário juvenil ingénuo.

“Para lá desta porta” é uma faixa com certa suspensão na harmonia e no ritmo. Bastante na onda de “Bye bye” do álbum anterior, de quem vai citar certas melodias, mas em ritmo lento. Poder-se-ia dizer que é uma reciclagem do Girl Power já utilizado. Se a arma funcionou, poderá funcionar outra vez com outra roupagem?

“Energia Just Girls” é a faixa auto-referencial do álbum. Uma música que basicamente reflecte o percurso da banda em palco num ritmo regular e rápido quando baste.

Basicamente o novo álbum tenta levar uma receita que deu frutos a dá-los de novo. A temática é um pouco monotónica, mas é compreensível. Um disco engraçado para aquecer o Natal com uma pitada de ousadia, sedução e muita juventude.

http://musicologo.blogspot.com

Autor: Tiago Videira

pop carregado de guitarra acústica sob a égide de uma dúvida excruciante entre esperar ou desistir de um amor alapado no peito.

“Entre o sonho e ilusão” é uma balada ligeira e romântica. Com uma aura que apela aos nossos sentimentos mais melosos e recônditos. Quase ideal para embalar.

“Cansei” é uma pedrada no charco. Com a colaboração de Angélico, traz-nos uma ambiência agressiva, dramática e quase num tom de pop-rap-electrónico, um pouco na onda da mais recente Britney. Uma sonoridade de fusão muito século XXI.

“Deixa o som voar” atira o álbum para o reino do pop-dance-electrónico. Um pulsar rápido e frenético conduz a uma faixa muita propícia às pistas de dança. Um cheirinho a Cher emana no ar.

As meninas do mais puro pitaPop Português estão de volta. O novo disco é recheado por doze canções e dois convidados. Os fãs não vão ficar desiludidos.

 

“O que és para mim” é uma linda balada acústica, leve, com um tom ligeiro toque de sedução do piano eléctrico. Remete-nos para um universo de uma desilusão amorosa e para um jogo de gato e rato entre uma amante a tentar reconquistar o seu amado.

 

“Ser radical” é uma espécie de remake do “Bye bye vou-me divertir” do álbum anterior. Um hino ao GirlPower em que elas mostram que são quem comanda. A festa da vida, a superioridade e a independência dos homens. As raparigas que são felizes, custe o que custar, debaixo de um tom dançável e alegre.

 

“Viver a vida” alinha pelo mesmo diapasão. Com a colaboração dos 4taste, um tema bem ritmado alinhado com palminhas e guitarras punk num sabor ao pop dos blink182.

Um hino à alegria e ao carpe diem: viver os sonhos e encontrar a saída. Saber quem somos!

 

“Devo perguntar” é um pop carregado de guitarra acústica sob a égide de uma dúvida excruciante entre esperar ou desistir de um amor alapado no peito.

 

“Entre o sonho e ilusão” é uma balada ligeira e romântica. Com uma aura que apela aos nossos sentimentos mais melosos e recônditos. Quase ideal para embalar.

 

“Cansei” é uma pedrada no charco. Com a colaboração de Angélico, traz-nos uma ambiência agressiva, dramática e quase num tom de pop-rap-electrónico, um pouco na onda da mais recente Britney. Uma sonoridade de fusão muito século XXI.

 

“Deixa o som voar” atira o álbum para o reino do pop-dance-electrónico. Um pulsar rápido e frenético conduz a uma faixa muita propícia às pistas de dança. Um cheirinho a Cher emana no ar.

 

“Respostas Vagas” é uma música com cunho bastante original. Uma espécie de ritmo ondulante dos anos 30 jazzado e sedutor é transportado para uma orquestração actual e torna-se numa música de piano-bar psicadélico. A temática continua em torno das relações amorosas vistas do prisma da rapariga dominadora.

 

“Se acabar assim” torna-nos a transportar para o reino das baladas ligeiras e melosas. O pano de fundo mantém-se numa história de amor mal sucedida.

 

“Só quero voar” é um hino de esperança. Que se acreditarmos no que nos diz o coração podemos chegar aonde quisermos. Pouco realista, mas muito dentro do imaginário juvenil ingénuo.

 

“Para lá desta porta” é uma faixa com certa suspensão na harmonia e no ritmo. Bastante na onda de “Bye bye” do álbum anterior, de quem vai citar certas melodias, mas em ritmo lento. Poder-se-ia dizer que é uma reciclagem do Girl Power já utilizado. Se a arma funcionou, poderá funcionar outra vez com outra roupagem?

 

“Energia Just Girls” é a faixa auto-referencial do álbum. Uma música que basicamente reflecte o percurso da banda em palco num ritmo regular e rápido quando baste.

 

Basicamente o novo álbum tenta levar uma receita que deu frutos a dá-los de novo. A temática é um pouco monotónica, mas é compreensível. Um disco engraçado para aquecer o Natal com uma pitada de ousadia, sedução e muita juventude.

 

http://musicologo.blogspot.com

 

Autor: Tiago Videira

As meninas do mais puro pitaPop Português estão de volta. O novo disco é recheado por doze canções e dois convidados. Os fãs não vão ficar desiludidos.

“O que és para mim” é uma linda balada acústica, leve, com um tom ligeiro toque de sedução do piano eléctrico. Remete-nos para um universo de uma desilusão amorosa e para um jogo de gato e rato entre uma amante a tentar reconquistar o seu amado.

“Ser radical” é uma espécie de remake do “Bye bye vou-me divertir” do álbum anterior. Um hino ao GirlPower em que elas mostram que são quem comanda. A festa da vida, a superioridade e a independência dos homens. As raparigas que são felizes, custe o que custar, debaixo de um tom dançável e alegre.

“Viver a vida” alinha pelo mesmo diapasão. Com a colaboração dos 4taste, um tema bem ritmado alinhado com palminhas e guitarras punk num sabor ao pop dos blink182.
Um hino à alegria e ao carpe diem: viver os sonhos e encontrar a saída. Saber quem somos!

“Devo perguntar” é um pop carregado de guitarra acústica sob a égide de uma dúvida excruciante entre esperar ou desistir de um amor alapado no peito.

“Entre o sonho e ilusão” é uma balada ligeira e romântica. Com uma aura que apela aos nossos sentimentos mais melosos e recônditos. Quase ideal para embalar.

“Cansei” é uma pedrada no charco. Com a colaboração de Angélico, traz-nos uma ambiência agressiva, dramática e quase num tom de pop-rap-electrónico, um pouco na onda da mais recente Britney. Uma sonoridade de fusão muito século XXI.

“Deixa o som voar” atira o álbum para o reino do pop-dance-electrónico. Um pulsar rápido e frenético conduz a uma faixa muita propícia às pistas de dança. Um cheirinho a Cher emana no ar.

“Respostas Vagas” é uma música com cunho bastante original. Uma espécie de ritmo ondulante dos anos 30 jazzado e sedutor é transportado para uma orquestração actual e torna-se numa música de piano-bar psicadélico. A temática continua em torno das relações amorosas vistas do prisma da rapariga dominadora.

“Se acabar assim” torna-nos a transportar para o reino das baladas ligeiras e melosas. O pano de fundo mantém-se numa história de amor mal sucedida.

“Só quero voar” é um hino de esperança. Que se acreditarmos no que nos diz o coração podemos chegar aonde quisermos. Pouco realista, mas muito dentro do imaginário juvenil ingénuo.

“Para lá desta porta” é uma faixa com certa suspensão na harmonia e no ritmo. Bastante na onda de “Bye bye” do álbum anterior, de quem vai citar certas melodias, mas em ritmo lento. Poder-se-ia dizer que é uma reciclagem do Girl Power já utilizado. Se a arma funcionou, poderá funcionar outra vez com outra roupagem?

“Energia Just Girls” é a faixa auto-referencial do álbum. Uma música que basicamente reflecte o percurso da banda em palco num ritmo regular e rápido quando baste.

Basicamente o novo álbum tenta levar uma receita que deu frutos a dá-los de novo. A temática é um pouco monotónica, mas é compreensível. Um disco engraçado para aquecer o Natal com uma pitada de ousadia, sedução e muita juventude.

http://musicologo.blogspot.com

Autor: Tiago Videira

“Respostas Vagas” é uma música com cunho bastante original. Uma espécie de ritmo ondulante dos anos 30 jazzado e sedutor é transportado para uma orquestração actual e torna-se numa música de piano-bar psicadélico. A temática continua em torno das relações amorosas vistas do prisma da rapariga dominadora.

“Se acabar assim” torna-nos a transportar para o reino das baladas ligeiras e melosas. O pano de fundo mantém-se numa história de amor mal sucedida.

“Só quero voar” é um hino de esperança. Que se acreditarmos no que nos diz o coração podemos chegar aonde quisermos. Pouco realista, mas muito dentro do imaginário juvenil ingénuo.

“Para lá desta porta” é uma faixa com certa suspensão na harmonia e no ritmo. Bastante na onda de “Bye bye” do álbum anterior, de quem vai citar certas melodias, mas em ritmo lento. Poder-se-ia dizer que é uma reciclagem do Girl Power já utilizado. Se a arma funcionou, poderá funcionar outra vez com outra roupagem?

“Energia Just Girls” é a faixa auto-referencial do álbum. Uma música que basicamente reflecte o percurso da banda em palco num ritmo regular e rápido quando baste.

Basicamente o novo álbum tenta levar uma receita que deu frutos a dá-los de novo. A temática é um pouco monotónica, mas é compreensível. Um disco engraçado para aquecer o Natal com uma pitada de ousadia, sedução e muita juventude.

http://musicologo.blogspot.com

Autor: Tiago Videira