Cerveira assinalou Dia Mundial dos Oceanos com instalação artística de Acácio de Carvalho

Inaugurada no Dia Mundial dos Oceanos, a instalação artística de cerca de 400m 2 “Ilhas de Plástico” de Acácio de Carvalho pode ser contemplada em pleno Rio Minho, na marina da Praia da Lenta. A obra pretende sensibilizar o público para a redução e prevenção de plásticos nos rios e oceanos e integra o projeto “ LowPlast – a arte de reduzir o plástico ”, financiado pelos EEA Grants.

Trata-se de uma intervenção artística site specific criada a partir de desperdícios de plásticos. Com a assinatura do artista Acácio de Carvalho, a obra é composta por 24 calotas esféricas de grande dimensão (cerca de 32 m 3 cada uma) e pode ser visitada até final do Verão, na Praia da Lenta.
Segundo o autor, Acácio de Carvalho: “A vocação expressiva dos agentes poluidores também podem servir para chamar a atenção dos efeitos nocivos dos plásticos. Pode parecer uma contradição, mas é só aparente. A arte é um sortilégio”. Para além de chamar a atenção do público para a questão ambiental, “a própria localização da instalação, perto da margem e da visão do público, visa extravasar a arte dos espaços tradicionalmente usados e ainda promover a utilização de lugares alheios a propósitos
museológicos e similares concorrendo, assim, para a promoção e dinamização artística e cultural”.
A elaboração das peças contou com o apoio de alguns amigos e artistas do autor, como Lúcia Nunes e Daniela de Carvalho.
A intervenção surge no âmbito do projeto “ LowPlast – a arte de reduzir o plástico ”, promovido pelo Aquamuseu do Rio Minho – Município de Vila Nova de Cerveira, em parceria com a Fundação Bienal de Arte Cerveira, a Associação Portuguesa do Lixo Marinho e o Instituto Interdisciplinar de Artes – DTK (Noruega), financiado pelos EEA Grants. O projeto engloba, ainda, ações de monitorização, disseminação de boas práticas e criação de elementos artísticos, no qual se enquadra a participação da Fundação Bienal de Arte de Cerveira.
Recorde-se que Acácio de Carvalho foi premiado na Bienal Internacional de Arte de Cerveira em 2001 e tem vindo a colaborar com a Fundação Bienal de Arte de Cerveira na criação de projetos artísticos de grande escala, como em 2018 a obra “Assalto ao Castelo” em Vila Nova de Cerveira e, em 2019, a pintura de um mural na vila de San Sperate (Sardenha, Itália).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *