Ramón Galarza lança disco sinfónico digital e homenagem a Shegundo Galarza

Sexta-feira, dia 20 de novembro em todas as plataformas.

 

Ramón Galarza, produtor, músico e compositor, lança sexta-feira um álbum de música sinfónica, só com instrumentos digitais, em tempos de pandemia. Symetrix tem sete temas instrumentais e está presente a partir de dia 20 de novembro em todas as plataformas digitais (Facebook, Instagram, YouTube, CDBaby, Spotify e Apple Music).

Como tema extra, o músico que produziu e tocou com os Xutos e Pontapés, entre muitos outros (CV em anexo), presta uma homenagem ao seu pai, o famoso pianista e maestro basco, Shegundo Galarza, tocando com ele “virtualmente” a música “Passeio em Sintra”, agora com o título “Passeio em Sintra com o meu Pai”.

Ramón Galarza explica o que o levou a realizar esta obra: “Symetrix foi o título que me surgiu para ilustrar este novo disco. Representa a simetria entre a minha tentativa de criatividade e o momento de pandemia em que estamos a viver. Os sete temas foram compostos durante a primeira fase de confinamento. A homenagem ao meu Pai, Shegundo Galarza, com o tema “Passeio em Sintra com o meu Pai”, que nos junta agora a tocar, através do digital, foi concretizado nesta segunda fase da pandemia. Toda a minha vida tive vontade de me aventurar na área da música sinfónica e o facto de dispor de muito mais tempo do que é habitual, por causa precisamente do confinamento, levou-me a compor e a criar estes sete exercícios instrumentais. As sensações, ansiedades e emoções tão fortes que estamos a viver foram as minhas musas. Por ser impossível neste momento ouvir uma orquestra a tocar estes temas, resolvi deixá-las registadas utilizando todas as enormes possibilidades que a tecnologia digital nos permite e nas quais tenho investido desde sempre. Isto, com a esperança de que, quando a normalidade regressar, possa concretizar este sonho. E que seja em breve, para bem de todos”.

 

Ramón Galarza

Nasce em Lisboa, no dia 1 de Novembro de 1957, filho do famoso pianista e maestro basco Shegundo
Galarza. Após ter estudado piano, percussão, solfejo e harmonia, a sua carreira musical tem início em
1976, tocando como baterista em diversos grupos musicais e como músico de estúdio, colaborando em
variadíssimos discos da música portuguesa.
Em 1980, faz parte da fundação da famosa Banda Sonora com Rui Veloso, em que participa como
baterista nos discos Ar de Rock, Um café e um bagaço, Fora de Moda e Rui Veloso, assim como nos
concertos ao vivo.

A partir de 1983 decide dedicar-se ao trabalho de produção musical.
Como orquestrador participa em vários certames em Portugal e no estrangeiro (Bulgária, Malta,
Espanha, U.S.A., Turquia, Paraguai e Brasil). Como produtor, arranjador e músico, colabora em inúmeros discos de música ligeira, popular, pop-rock, rock e jazz.
Em 1986 cria a TCHATCHATCHA, empresa de produções e edições musicais com estúdios próprios de
gravação.
Em televisão trabalha com Herman José como diretor musical e músico, nos programas Tal Canal,
Hermanias e Crime na Pensão Estrelinha. Foi produtor da RTP nos festivais da EUROVISION, em Haia,
Bucarest, Roterdão, Moscovo, Baku, Copenhaga e Viena. Foi produtor e director musical de 4 séries da
RTP, Rua Sésamo e dos projetos da Walt Disney, “Clássicos Disney” e “Uma História por dia.
Em 1988, inicia a colaboração como produtor com o grupo Xutos e Pontapés. Co-produz os álbuns 88,
triplo álbum ao vivo e Gritos Mudos – e os singles “Submissão” e “Tu aí, tocando como teclista da
banda durante 2 anos.
Como júri de televisão, fez 2 temporadas nos concursos Chuva de Estrelas e Ídolos.
Pelo caminho, a sua experiência como músico, arranjador e produtor desenvolveu-se com variadíssimos
artistas: Rão Kyao, Dino Meira, Rui Veloso, Banda do Casaco, Doce, Afonsinhos do Condado, Carlos
Paião, Avô Cantigas, Dulce Pontes, Xutos e Pontapés, Rita Guerra, Beto, Marco Paulo, Pedro Migueis,
Blind Zero, António Pinto Basto, Adelaide Ferreira, Maria Rueff, Gato Fedorento, Contra-Informação,
entre muitos outros.
É autor de diversos genéricos de TV e de Rádio, assim como de bandas sonoras incidentais das
telenovelas “Último beijo, Jóia de Africa, Saber amar, Amanhecer, Coração Malandro, Morangos com
Açúcar e Queridas Feras”.
Em 2009, edita o seu 1º disco a solo: “Herr G – 51.11”, dando continuidade a este projeto em 2018 com
o CD “GALARZA”, assinado pelo seu grupo “Ramón Galarza´s Band”.
Como produtor recebeu 18 discos de platina, 30 de ouro e 36 de prata.
Actualmente, dedica-se ao trabalho de composição, orquestração e produção, simultaneamente com a
direção da sua empresa de produções e dos seus estúdios de gravação, a Tchatchatcha, actuando ao
vivo em concertos da sua atual banda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *