WHITE HAUS: NOVO DISCO “BODY ELECTRIC” EDITADO A 4 DE OUTUBRO

White Haus, projeto musical de João Vieira (X-Wife, DJ Kitten) edita o novo disco, “Body Electric” no próximo dia 4 de outubro. “My lips are sealed” foi o single de apresentação do disco e pode já ser ouvido em todas as plataformas digitais, contando com um vídeo visualizer da autoria de André Tentugal.

Há duas coisas que são imediatamente evidentes quando se ouve “Body Electric”, o terceiro álbum de originais de White Haus, o projecto a solo de João Vieira. A primeira é que estamos perante um melómano insaciável, com uma noção histórica exemplar. A segunda é que a sua música, embora canalize toda essa paixão, fá-lo de uma forma que é, cada vez mais, só sua.

É que, nestes novos doze temas, se por um lado, somos assaltados pela presença dos tutelares Talking Heads e dos seus projectos satélites, pela No Wave nova-iorquina de Vivien Goldman, Sexual Harrassment ou Konk, pela Pop Electrónica dos Soft Cell ou dos New Order, pelo Funk hibrido de Prince e dos seus cúmplices de Minneapolis, pelo Italo-Disco inspirado em George Moroder ou em Patrick Cowley ou pelo Acid House de Adonis ou Maurice. Por outro, somos surpreendidos pela forma quase caledoscópia como essas referências se cruzam, num corpo uno e completamente singular, e pela inteligência e originalidade com que são incorporadas na escrita de canções, cuja forma clássica é cada vez mais questionada e alvo de reformulações, tantas vezes imprevisiveis e sempre pessoais.

Composto e produzido por João Vieira, numa pequena sala que divide com as suas duas gatas, misturado por Nuno Mendes e com a presença de colaboradores, que já haviam marcado presença no seu mundo, como André Simão, Graciela Coelho, João Cabrita ou André Tentugal – “Body Electric” – é um disco maduro, sólido e autónomo que aponta para o futuro, ao reequacionar toda a herança da mais fracturante música popular urbana, das últimas quatro décadas.

É isso que torna tão única. É isso que, mais do que nunca, distingue White Haus de outros projectos, porventura mais mediáticos, de João Vieira.

Faixas:
1 – Stop
2 – Cheap seats
3 – Bodies
4 – My lips are sealed
5 – Step righ up
6 – Save a little time for me
7- The anxiety
8 – Doctor’s orders
9 – Sugar daddy
10 – Table for one
11 – Tell nobody
12 – Dreaming

Ficha Técnica:

João Vieira: voz, sintetizadores, beats
André Simão: baixo, sintetizadores (“Bodies, “Table for one”, “Tell nobody”, “Dreaming”), produção (“Tell nobody”);
Graciela Coelho: vozes (todas as canções excepto “Cheap Seats”, “Doctor’s Orders” e “Sugar daddy”);
João Cabrita: saxofone (“Save a little time for me”, “Doctor’s order’s”);
DJ Slimcutz: scratch (“Stop”);
Nuno Mendes: guitarra (“Cheap seats”);
André Tentugal: sintetizador (“My lips are sealed”).

Escrito e produzido por João Vieira;
Misturado por Nuno Mendes;
Gravado nos The White Haus Studio e Nuno Mendes Studio;
Masterizado por Miguel Pinheiro Marques.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *