CAPICUA

CAPICUA ENCERROU O ANO DE 2020 EM BELEZA COM GRANDE ACLAMAÇÃO EM TORNO DO SEU “MADREPÉROLA”

O novo álbum que a rapper lançou logo no início de 2020 tem recebido ótimas críticas da imprensa especializada. O disco entrou para o #10 do top dos melhores álbuns de 2020 do “Expresso”, sendo mesmo o 1.º disco nacional a figurar neste top.

“Capicua, superior malabarista de rimas, já não é segredo para ninguém, mas continua a provar com este estupendo ‘Madrepérola’ que não é mulher de ficar encostada a ver acontecer”, escreveu o semanário.

“Madrepérola” conquistou ainda o #2 do top de melhores discos nacionais para a Antena 3, o #4 do top dos 50 melhores álbuns portugueses de 2020 para o Blitz, tendo ainda ficado em #5 das escolhas dos leitores do mesmo site.

Já a “Time Out” elegeu o novo álbum de Capicua como o #4 melhor disco português de 2020, enquanto a Rádio Observador destacou-o no seu top 10 de melhores discos do ano que passou.

Observador também colocou “Mátria”, tema de Capicua com a participação dos rappers brasileiros Emicida, Rincon Sapiência e Rael da Rima, na sua lista de canções que nos salvaram em 2020: “Não é muito fácil escolher uma, mas ‘Mátria’ faz mais pela promoção da cultura portuguesa no Brasil e vice-versa do que muitas campanhas diplomáticas.”

As canções “Planetário” ft. Mallu Magalhães e “Circunvalação” foram das preferidas para o público da Antena 3, enquanto o P3 colocou o tema “Madrepérola” na lista das “canções portuguesas que salvaram 2020”.

“Parto Sem Dor”, tema que resgata uma letra de Sérgio Godinho, fez ainda parte do top das melhores canções portuguesas para a equipa do SAPO Mag.

De assinalar a grande variedade de canções do disco destacadas nas listas de melhores temas do ano, comprovando que “Madrepérola” não é disco de um single só, mas antes um conjunto de grandes e emblemáticas canções que valem por si e vieram para ficar.

“Madrepérola” consumou-se igualmente em palco, apesar dos condicionamentos impostos pela pandemia de Covid 19, com espetáculos que conquistaram o público, pelo potencial das novas canções, agora mais cantadas e dançáveis, pela reinvenção de temas incontornáveis e, sempre, pela poderosa energia de Capicua e da banda que a acompanha.

“Madrepérola” ao vivo é um espetáculo cheio de luz, texturas e brilho, numa alusão à iridescência da madrepérola e à policromia dos encantos subaquáticos. Muita energia vital e poesia convertida em música, registada por um dos melhores programas de música da RTP 1 – Eléctrico II – no qual contou com os convidados muito especiais Sérgio Godinho e Lena d´Água.

O próximo encontro está marcado, para dia 16 de Janeiro às 19h, no Teatro Municipal de Vila Real, um espetáculo no âmbito da campanha solidária Missão Continente – Todos Por Todos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *